Tu


claudia (2)

Algumas pessoas me perguntam sobre a Cláudia, sua rotina, porque passaram a conviver com ela no papel, no computador, nas redes sociais, pela triste historia do seu desaparecimento, mas não a conhecem pessoalmente, não sabem se o que está escrito sobre ela é a realidade. Posso apenas falar da minha relação com ela, sobre o que vivemos esses anos todos, mas isso é a minha realidade, só minha, mas acho que ela merece ser conhecida pelos olhos de quem a ama.  Uma das mensagens que recebi sobre ela e selecionei para dar início a este texto foi esta: “tava pensando que as vezes tenho curiosidade da Claudia… é alguém do meu convívio há oito meses…creio que os teus leitores também tem… a gente é meio bisbilhoteiro na vida.. e sempre penso ela era vaidosa? ela era atenta aos amigos? porque ela acendia a lareira? e o que ela mais gostava de cozinhar? ainda vou fazer outras perguntas.  A historia do desaparecimento da Cláudia tomou um tamanho que tudo que sai interessa muito para quem lê, as pessoas querem saber, querem conhecer a Claudia o máximo…”

Então, um dos pratos que ela mais gosta é strogonoff
Fazia seguido, cortava umas batatas rosa na hora e fritava para comer junto. Cada vez que voltava de uma viagem tentava fazer um prato de que tinha gostado por onde esteve… No inverno ama sopa de ervilhas com salsicha ou linguiça. Ama quando chegava o inverno para acender a lareira, senta num branquinho na frente e diz, tão bom um foguinho. Ama o trabalho, se realizou nos laboratórios, começou na área de saúde, quando fez um estágio na secretaria da saúde. Lá ela dava injeção, vacinas… Ficou atenta com cuidados essenciais de prevenção a doenças, principalmente, quanto a higienização das mãos, chegava a ser enjoada, mandando todo mundo que chegava da rua, lavar as mãos. “Antes de ir ao banheiro lava a mão pra não pegar uma infecção”. Quando chega do super lava as embalagens, “quanta gente já pegou isso, imagina o tanto de doenças que tem aqui.”.  Quando gosta de alguém, ai de quem se mete com a pessoa, vira bicho, mas não é melosa, nem pegajosa, como eu, é alemoa, rsrsrsrrsrsrs, portanto, sem maiores demonstrações de afeto em público, é dura na queda. Mas quem aprende a gostar dela como ela é, quem realmente gosta dela, é pra sempre, porque ela te conquista por ser tão verdadeira e franca, tu aprendes que o jeito dela ser é por te querer bem, não tem meias palavras, mas por ti vai até a última consequência…  e isso não tem preço.  Não preciso de perguntas para escrever sobre a Cláudia, é só lembrar das coisas que vivemos juntas, mas posso falar e mostrar quem ela realmente era, pois eu a amo!

Um pensamento sobre “Tu

  1. Com o que escreves Adriana é possível vê-la fazendo todas essas coisas pois escreves com a emoção dos que amam. Lindo e triste.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s