Dia do professor – de Francine Sinnott para Cláudia Hartleben


Francine Sinnott para Desaparecida Claudia Hartleben.

Dia do professor…hoje não têm como não lembrar da professora mais importante da minha vida…aquela que acreditou em mim…que me deu a oportunidade que muitos outros negaram…que não levou só o “curriculo” em conta…a que levou em conta foi a minha dedicação e o meu desejo para que a pós-graduação fosse uma realidade…falar da Cláudia é um misto de sentimentos…ela foi a pessoa mais humana que eu conheci…a mais exigente também…a pessoa que cobrava, que brigava, que ensinava e que te amava…era sempre muito evidente nas suas preferências…não mandava recado…quando tinha que falar, falava…doa a quem doer…ela era verdadeira…era a professora parceira…os alunos a amavam por isso…”churrasco? Pode ser lá em casa” ela sempre dizia…era uma professora agregadora, gostava de estar presente no meio dos jovens e SE fez presente em todas as turmas em que ela lecionou…gostava de um bom papo, uma cerveja gelada e um cigarrinho…cada “fumada”, um papo…uma troca…um conselho…e nós sempre íamos com ela ao “fumódromo” mesmo os que não fumavam…pois ali ela era só “da gente”, sem interrupções…sim, ela era muito ocupada…tanto, que querer uma hora do tempo dela lá na Universidade, era complicado…sempre chegava um ou outro e ela sempre atendia a todos…mas se na Universidade não dava, não tinha problema, ela levava os orientados pra casa dela…isso realmente eu nunca vi nenhum fazer…dava a janta e o seu tempo de folga, para se dedicar exclusivamente para o seu orientado…lá ela fazia a gente realmente se sentir único…ou ela mesma cozinhava, ou o Pedro cozinhava…sempre abriram sua casa da forma mais amorosa do mundo…lá ficava eu até as 6hs da manhã (como aconteceu) algumas vezes durante meu mestrado…e ela não se importava…ela queria era que tudo fosse perfeito…ela te estimulava a fazer coisas que a gente nem imaginava poder fazer, como por exemplo escrever um artigo todo em inglês sem usar o google tradutor, afinal ela saberia na hora da correção…dessa forma ela te instigava a ler, a ler muito…pois só escreve bem quem muito lê…como ela dizia isso…ela não era só um professora parceira, uma orientadora presente e amiga…ela era uma mãe…uma confidente…era carrasca tbm, mas afinal de contas quem cobra, em algum momento tem que ser “o chato”…ela comprava tuas dores, teus amores….ela era presente…e ela ainda hoje, após 2 anos e 6 meses da sua ausência…ela SE FAZ presente…tudo que me ensinou eu carrego comigo…cada coisa que eu vejo e que sei qual seria a sua postura frente aquela situação eu SEMPRE digo “a Cláudia faria de tal forma”…foram 6 anos de convivência quase que diária…6 anos de muita parceira e companheirismo…6 anos que se transformaram na eternidade para mim…é impossível esquecer da única pessoa que brigou por mim da forma que ela brigou…e quem me conhece sabe do que eu estou dizendo…eu sou grata eternamente a ela e sinto muitíssimo não ter tido tempo de poder dizer para ela o quanto ela era importante, e ainda É…hoje, no dia do professor, minha homenagem é pra ela, a pessoa que vestiu a roupa da profissão, que acolhia, que estimulava, que ensinava e que amava aquilo que fazia…hoje, professora Cláudia, o dia é teu…aquela que foi, que é, e que será para sempre, uma das pessoas mais importantes que passaram pela minha vida…pq se um professor deixa um pouquinho de si em cada aluno, tu deixou muito de ti em mim…te amo, pra sempre sua orientada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s